sábado, novembro 01, 2014

m.ã.o.

Vejo-te as memórias doridas, recortadas no olhar triste
que escondes entre palavras já tão familiares

Sinto-te aqui, embora lutando com as estradas
percorridas, escolhidas e abandonadas ou seja, assombradas

Oiço-te entre frases e histórias partilhadas
com todo o peso que lhes trazem os fantasmas

Conheço-te, nas mãos enlaçadas,
os dedos que guardam e calam as tensões em noites de tempestade

Estendo-te a mão para te ajudar
Estendo-te a mão para abafar as dores
Estendo-te a mão para despir e desmascarar os fantasmas
Estendo-te a mão, para partilhar as tensões

Vejo-te
Sinto-te
Oiço-te
Conheço-te

E tento ajudar porque não é tarde
E tento ajudar porque é possível
E tento ajudar para que seja mesmo só "navegar"

E tento ajudar...
Levar-te a acreditar
Ajudar-te a mudar
Ajudar-te a aceitar
Fazer-te sorrir
Reensinar-te a sonhar

Estendo-te a mão, vens?!


Liliana


Enviar um comentário