domingo, janeiro 20, 2013

Dias de tempestade

A estrada enrola-se num caracol de dúvidas, que se misturam a cada cruzamento com a ansiedade, que espreita e aumenta à medida que o caminho se aproxima do cimo do monte.

Uma verdadeira batalha de vontades e emoções e medos e inseguranças ocupa o meu peito, que se esforça por disfarçar.

Devo?
Quero.
Queres?
Duvido.
Volto atrás?
Chamas-me.

Fico no limbo, entre quem está e quem sabe que já devia ter saído.
Num momento fugaz há um nós onde te encontro, para logo me escorregares pelos dedos, qual areia da praia.

Em línguas diferentes dizemos as mesmas frases.

Passado.
Fantasmas.
Tempo.
Espaço.
Vontade.
Passado.
Fantasmas.

Lá fora a chuva lava as ruas, e o Tejo corre com mais força. Suspiro. 
Passo o leme para as tuas mãos, e espero que a tua estrada não se afaste da minha.

Uma verdadeira batalha de vontades e emoções e medos e inseguranças ocupa o meu peito, que se esforça por disfarçar.


Liliana



Enviar um comentário