segunda-feira, julho 04, 2011

Onde começa o voo do Adeus, Mia?!

Partes nestes dias de calado silêncio
sei que tens de o fazer, avançar, correr...
Vejo-te ao fundo, na avenida das lembranças,
pequenas flores que abrem quando andas.
E eu que não te quero perder...

Sinto-te longe, distante
e sei que tens de o fazer, parar e viver.
O meu coração grita, explode, triste visitante
das terras de quem tem de te largar.
E eu que te continuo a querer, amar.

O meu corpo parte-se, desfaz-se,
nestas ondas rasgadas do nosso profundo mar,
onde ainda oiço o gemido que me fez transpirar.
Será que o teu corpo, sente o meu chamar?
Mas eu sei, tenho de te deixar voar...

Liliana






"Não saberei nunca
dizer adeus

Afinal,
só os mortos sabem morrer

Resta ainda tudo,
só nós não podemos ser

Talvez o amor,
neste tempo,
seja ainda cedo

Não é este sossego
que eu queria,
este exílio de tudo,
esta solidão de todos

Agora
não resta de mim
o que seja meu
e quando tento
o magro invento de um sonho
todo o inferno me vem à boca

Nenhuma palavra
alcança o mundo, eu sei
Ainda assim,
escrevo"

"Poema do adeus" de Mia Couto

Enviar um comentário