domingo, julho 10, 2011

Fazer pontes...

Fazer pontes. Abrir caminhos. Escavar túneis. Enviar mensagens em garrafas e atirar ao mar. Fazer sinais de fumo. Fazer pontes...

As duas personagens estão frente a frente com a boca amordaçada.

Comunicar por gestos. Escrever na areia molhada à beira das ondas e tentar que o mar não apague o que se sente. Fazer pontes...

A luz incide somente nas duas figuras, mudas, em cima dum palco nu.

Os sinais nem sempre são claros. Treinar pombos correio. Soltar balões com palavras escritas e esperar que cheguem ao destino certo. Fazer pontes...

As personagens movem-se, gesticulam, tentam comunicar com o corpo. Param silenciosas, duas ilhas isoladas, tão perto e tão longe. Desistem.

Fazer pontes...
Liliana

Enviar um comentário