terça-feira, junho 28, 2011

Dentro do meu castelo

Dentro das minhas muralhas, há dias em que consigo fechar os portões ao barulho da vida, enviar as minhas tropas, dar ordem para lançarem as flechas e sentir-me segura, calma, tranquila.

Dentro das minhas muralhas, há dias em que o sonho fala mais alto e o arco-íris me sorri, bem no meio dum céu de verão, como que a convidar para um passeio.

Dentro das minhas muralhas... consigo, em alguns dias, fechar-me duma realidade chuvosa e fria e manter-me afastada das dores do mundo.

Cá do cimo das ameias, vejo a cidade e sei-me fora dela. Sorrio. O burburinho de fundo, dos carros que se apressam das crianças que correm das pessoas que se acotovelam da confusão que se vive, não me afecta nem perturba... dentro do meu castelo.

Há a lua e as estrelas que me sussurram que tudo passará.
Há o Tejo ondulado e azul-verde-azul que me canta um novo dia.
Há o sol e as nuvens finas, espalhadas numa leve camada branca, que asseguram que a Terra continua a girar.


Dentro do meu castelo!


Liliana

Enviar um comentário