quinta-feira, abril 07, 2011

Queres um rebuçado, Luís?

Guardo numa caixa antiga de rebuçados o tempo que nos sorri e nos estende a mão.

Guardo numa caixa antiga de rebuçados o tempo que nos faz dizer tantas coisas por entre os silêncios que deixamos, com tempo, correr.

Guardo numa caixa antiga de rebuçados o tempo em que nos damos e que, com tempo, nos entregamos.

Guardo numa caixa antiga de rebuçados o tempo que faz parar o tempo em que, de novo, nos encontramos e nos olhamos.

Guardo numa caixa antiga de rebuçados o tempo que não partilhamos mas em que, estando longe, nos tocamos.


Guardo...

Guardo o tempo, para que um dia tenhamos tempo para sermos, com a urgência de quem não tempo a perder e com a tranquilidade de quem tem todo o tempo que cabe numa caixa antiga rebuçados...


Liliana


"Do coco faço uma batida


Da areia faço a minha cama


Gosto de me dar à vida


Sempre que o sol me chama


(...)


Fica mais quente o verão


Quando te tenho ao meu lado


Dou-te um doce


Em troca de um beijo salgado"


Luís Pedro Fonseca


(cantado por Lena d’Água in Terra Prometida, 1986)

Enviar um comentário