quarta-feira, abril 20, 2011

Procura a ponta do novelo...

Pego no novelo espalhado pelo corredor e enrolo o fio de novo na bola colorida nas minhas mãos, arco-íris fiado em mil sonhos.


Com cuidado vou puxando o fio enquanto enrolo memórias do que foi e do que podia ter sido e ainda do que significou.


Nunca soube fazer malha nem crochet nem liga... mas sempre gostei de novelos, coloridos e grossos. Uso-os como marcas, como fios-condutores, como pontes, como ligações entre pessoas e momentos e lembranças e sonhos.


Pego no novelo espalhado pelo corredor e penso no que pode ainda vir a ser, quantas cores, quantos arco-íris por sonhar, por explorar. Procuro a ponta do fio colorido e faço um novo novelo mais pequeno. Neste guardo as lembranças do que foi, no grande o original, guardo tudo o que pode vir a ser...


Liliana


Enviar um comentário