sábado, abril 23, 2011

Como é a casa onde vives?

Vivo numa casa assombrada com vista para o vazio. Um nevoeiro contínuo trespassa as paredes que monto e desmonto como peças de lego procurando, incessantemente, a divisão perfeita, a disposição ideal. Prevendo o amanhã mudo o telhado, ora arejado, ora resistente e impermeável. Jogando com os ontens, tento projectar hojes tranquilos e sem sobressaltos. Abro a porta à ternura, fecho a gaveta à dor, varro a desilusão e escancaro o amor.


Vivo numa casa assombrada com vista para o vazio que corre sobre uma pista que desconheço mas que, à força, quero entender para melhor sobreviver. Altero daqui para que amanhã não caia, construo dali porque o futuro se mostra risonho, avanço agora que não me mete medo e fujo depois porque o amanhã é incerto.

Vivo numa casa...

Vivo?

Sobrevivo numa casa assombrada com vista para o vazio.

E tu?



Liliana