quarta-feira, março 16, 2011

Vamos ao sonoro, Teodoro!

Sala escura, cadeiras corridas
Um fio de luz que se desdobra em imagens.
A vida num fio de luz.
Diálogos e sons e música numa dança coordenada.

Escuro na sala
E uma imensa luz no ecrã.
Toda a vida na luz, projectada em imagens e palavras e movimento e música e sentimentos e expressões e...
Sonhos!!!

Sala escura, cadeiras corridas
Tantos mundos
Tantas possibilidades
Tantas emoções
Tantas histórias...
Uma realidade vivida em mil feixes de luz.
Liliana


"(...)
O meu sistema com o mudo não se dá
Só o sonoro me diz tudo quanto há
Porque o sonoro além de mais alegre
Tem outro estilo e ouvi-lo só faz bem

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não sejas ruim
Teodoro repara que eu choro
Se fores ao sonoro não gostas de mim

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não vás mas eu vou
Porque adoro na vida o sonoro
E há-de ser Teodoro, quem chorar, chorou

Teodoro não vás ao sonoro
Teodoro não vás mas eu vou
(...)"
letra de: Almeida Amaral
e Xavier de Magalhães
Enviar um comentário