terça-feira, março 22, 2011

Empresta-me os teus olhos...


De onde vem esta solidão que invade a rua em hora de ponta como uma sombra que se vai espalhando e apagando todos os que me rodeiam?
Porque me enche o peito esta mágoa que aparece sem aviso e, num segundo, me embrulha o coração num papel feito de medos que me afastam do mundo e dos outros?
De onde vem esta inquietação marcada a fogo na carne que não me deixa encostar a cabeça e, simplesmente apreciar as estrelas no céu?
Porque não consigo atirar-me do baloiço quando me chamas de braços abertos, pronto para me agarrar?
De onde aparecem estes fantasmas, formas disformes que me perseguem pelo corredor quando apago as luzes?
Porque não consigo apenas viver, saltitar pelos campos, dançar na areia ou cantar com o mar?
Porque não consigo apenas olhar o mundo com os teus olhos de rir e chorar, mas sempre de amar?...
Liliana

Enviar um comentário