segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Vamos voar num balão, Leif?

Voamos num balão de ar quente que nos leva até onde o vento quiser. Vagueamos pelos céus, cheios de certezas, vontades concretas, a realidade é tão simples vista daqui...

Voamos num balão de ar quente que nos embala o sonho e o transforma em nuvens de algodão onde pousamos. Saltamos de mãos dadas como crianças, brincamos com os sonhos num mundo de verdades, corremos alegres agarrados à certeza de que é tudo tão claro visto daqui...

Voamos num balão de ar quente, abastecido pelas nossas vontades. Aqui tudo é possível. Estico a mão e puxo um arco-íris para colorir o céu e não são só os 'pássaros que voam através dele', eu voo com eles.

Paramos num castelo de areia e saímos do balão. Percorremos os muros e as ameias em busca da verdade, não a encontramos mas sabêmo-la escondida num sonho de algodão doce. O mundo é tão simples observado daqui!

Dás-me uma flor feita de sonhos impossíveis e as suas sementes espalham-se pelo céu que se transforma num enorme campo de girassóis de todas as cores. Escolhemos uma rosa e protegêmo-la para dar a um menino de 'cabelos cor de oiro' que mora num sonho ao nosso lado. A vida parece tão calma, vista daqui!

Subimos novamente no balão de ar quente que nos leva até onde o vento quiser. Com o coração cheio de certezas, puxamos a noite devagarinho e escolhemos as estrelas mais bonitas para iluminar os sonhos mais ambiciosos. Tudo é possível, olhado daqui!

Segredamos uma velha canção de embalar às estrelas que, contentes, a entoam e repetem num majestoso concerto sonhado. A música é tão límpida, ouvida daqui!

Voamos num balão de ar quente, que nos leva até ao Sol. Está na hora! Não temos dúvidas, nem hesitações. Acordamo-lo, guardamos as estrelas e pedimos à Lua que nos visite. As coisas são tão simples vistas daqui!

Voamos num balão de ar quente que, com o calor do dia, vai poisando devagar, devagar, sem sobressaltos até chegar ao chão. Deixa-nos no castelo, olhamos as ruas que acordam e o rio ao fundo, que ainda se espreguiça... A cidade é tão bonita, vista daqui!


Liliana Lima, 23-02-2009




"Ser feliz é maravilhoso

é como ter um balão dentro de ti

e o balão está cheio de ar quente

tu ficas leve e quase a voar.

Às vezes sentes-te feliz

juntamente com os outros.

Quando estiveste longe

e houve alguém que esteve à tua espera

ou quando uma pessoa diz um segredo

que só nós sabemos.

Quando sentado quieto junto de outra pessoa

compreendes como ambos são amigos.

És feliz

quando consegues finalmente fazer alguma coisa

que devias fazer mas não ousavas.

Às vezes podes ser feliz

quando estás só.


Quando a Primavera chega de repente

e tu navegas no primeiro barco à vela do ano

ou quando caem os primeiros flocos de neve do Inverno

e tocam docemente a tua cara molhada.

Quando começas a pensar em alguém

que gosta de ti

ou quando um amigo defende

o que tu disseste ou fizeste.

Mas ficarás mais feliz do que nunca

quando tornares feliz outra pessoa.

Quando visitares alguém que está sozinho

e tiveres tempo para ficar lá muito tempo

ou fizeres alguma coisa por alguém

que foi duramente magoado.

Então o balão sobe

redondo de alegria

e voa até tocar as mãos de Deus. "

'Ser Feliz' - Leif Kristiansson

(Tradução de Sophia de Mello Breyner)

Enviar um comentário