segunda-feira, abril 25, 2016

ser-TE

Queria ser-te a paz, apagar as inquietações em que tropeças. Ser água cristalina para em ti lavar os fantasmas que te acordam de madrugada. 

Queria ser-te o silêncio e calar as lágrimas em que te afogas. Pegar num regador azul claro e, com elas, inundar os medos que te doem no corpo. 

Queria ser-te o tempo que te falta a cada dia que passas a correr por entre as horas, sempre escassas. 

Queria ser-te a certeza que não tens de ti e para ti. Conseguir dizer-te das papoilas que abrem ao luar. E contar-te dos campos onde nascem os sorrisos. 

Queria-te a paz, o silêncio, o tempo e a certeza. 


Liliana Lima 


Enviar um comentário