domingo, abril 17, 2016

paLAVRAS

Dói-me o que trago para te dizer
aperta-se-me a garganta enquanto te canto a canção que embrulhei para te aninhar

Dói-me o que trago para te dar 
queima-me este embrulho que abro minuto - a - minuto para ti

Dói-me o que trago para te entregar 
foge-me este balão que solto no ar para que voes sem mim

Dói-me esta certeza que trago para partilhar 
este saber que recuso mas que se me cola à pele num vestido que, afinal, não é meu

Dói-me! 
Ah! Dói-me esta palavra que tenho de soletrar para que possas voar

Dói-me! 
Ah! Doem-me estas asas
que guardo num frasco de vidro e me gritam para ir, ir ter contigo 

Dói-me! 

Dói-me saber-te quase tão bem como a mim 
e sentir que te doem as palavras que trazes sem me dizer

Liliana 


Enviar um comentário