domingo, setembro 14, 2014

dIAs

Cada hora tem mil vidas lá dentro.
Vidas que se amparam, que se desencontram
vidas de festa e vidas obscuras
Até as vidas interrompidas se escondem lá dentro.

Quando passo por uma hora
olho para ela o melhor que posso
procuro-lhe a melodia, o ritmo e a dança
e tento convecê-la a abrir-me o sorriso.

Horas há,  em que o nevoeiro nos tolda a visão
e, por mais que procuremos, não encontramos os minutos
que nos lembrariam que cada hora tem mil vidas
e que nem sempre "os dias são dias passados".

Sim, cada hora tem as suas mil vidas dentro
com os seu afazeres, os seus ritmos
e tantas vezes nos desencontramos
por entre os minutos que apenas nos
esperam para cantar "uma canção que eu ouvi do meu avô"

Liliana




Enviar um comentário