sábado, novembro 30, 2013

Caminho

Há quartos e salas por onde ando. Mexo-me por entre espaços e tempos que não quero perturbar, somos todos os coreógrafos dos nossos dias. Pego em todos os cenários e espalho-os por cima da mesa de madeira antiga da sala de jantar. Olho para eles e vou alterando objectos, trocando espaços e fazendo novas marcações no texto.

Afinal, como programamos o correr dos dias, sem os deixar afundar no mar da monotonia? Damos mais espaço aos tempos com sorrisos, e avisamos o ponto das novas pausas.

Sim, o meu caminho é feito de divisões várias, umas que se ligam entre si, outras que se empurram para não se tocarem com a maré dos meus passos.

Ah, se o fio condutor deste caminho estivesse nas minhas mãos... Avançava sem nunca mais tropeçar e sabia parar a tempo de me sentar na varanda, nas noites de lua cheia, e deixar-me envolver na sua luz branca e fresca, só porque sim.

Há quartos e salas por onde ando, que visito ao sabor dos ventos que vou tentando conter em mim.

Liliana





Enviar um comentário