sexta-feira, dezembro 21, 2012

Sorrindo...

Nas marcas do meu sorriso há medo e escuro e dias aflitos. 
Nas marcas do meu sorriso.
Há corredores com portas fechadas e relógios que giram ao contrário.
Há gritos e choros e crianças perdidas.
Há noites sem lua e fantasmas futuros.
Há quartos sem camas e camas sem lençóis por cima do mar.
Nas marcas do meu sorriso.

Quando os meus olhos sorriem, contam histórias de gaivotas voando pelo mundo.
Quando os meus olhos sorriem.
Falam para os olhos que me olham num abraço carinhoso.
Sussurram as palavras bonitas daquelas que os olhos gostam de ouvir.
Riem e fazem rir com a genuinidade dos olhos duma criança.
Quando os meus olhos sorriem.

É que o meu sorriso leva consigo todo o meu ser, nas marcas visíveis e nos sinais que se escondem.
A história que pede para ser dita apenas no meu silêncio se conhece. 
E por isso, destilo as lágrimas, as mágoas, os medos e os receios, que transformo em sorriso.
É assim que me protejo de mim, da história que me quer invadir, dos fantasmas que teimam em voltar e dos gritos mudos que não deixo de ouvir.
Sorrindo...


Liliana





(Erica Dal Maso)