segunda-feira, março 08, 2010

Vem comigo no carrossel, Alice...

O cavalo dourado e rosa arranca devagar, balançando aos poucos até ganhar velocidade e fazer a primeira volta completa. O mundo inteiro roda à minha volta subindo e descendo conforme a música das ruas e das pessoas e dos carros, tudo parece mágico, mais rápido e menos pesado.

Salto para a carruagem amarela e desfruto da paisagem que muda com o meu humor. As árvores ao fundo acompanham o compasso, e dizem-me adeus com os ramos molhados pela chuva que não me conseguiu apanhar.

Penduro-me no varão às riscas e espanto-me com as luzes que deixam um rasto colorido com que invento histórias escritas no céu. A lua corre entre os quartos tentando apanhar-me no crescente e perdendo-me no minguante. As estrelas olham-me divertidas, só elas conseguem acompanhar-me nesta corrida.

Vejo-te aparecer e logo te perco de vista, que dizias?! Já estou longe e aqui a paisagem parece correr na direcção contrária, fugindo do dia que começa a nascer lá ao fundo. O sol aquece-me com raios longos que me abraçam nos saltos do cavalo prateado. Giro em torno dele e acabo por o deitar mais cedo numa planície verde que abandono para mais uma volta.

Encontro-te novamente, pareces confuso, aceno-te, chamo-te, não sei se me viste... A carruagem onde me sento sobe e desce em pequenos solavancos que me arastam para mais longe até chegar novamente à noite. Procuro a lua mas não a encontro no céu, cheio de cartazes e luzes e prédios, da cidade. Os carros correm ao meu lado, estranhando o cavalo dourado e rosa que se endireita vaidoso e acelera o passo.

Rodo em torno de ti, no meio de frases mal misturadas e palavras que não percebo. A música baralha a conversa e a velocidade aproxima as interrogações que sobem e descem no pónei azul à minha frente. Não te consigo ouvir nem sei se me consegues ver.

Avanço para mais um nascer do sol e pergunto-me em que volta conseguirás saltar, agarrar o varão às riscas, subir para o cavalo prateado e seguir viagem ao meu lado neste carrossel colorido.


Liliana


"-Achas que estou a enlouquecer?
- Acho, estás completamente passada. Mas deixa-me dizer-te um segredo, todas as pessoas boas são loucas!"
Diálogo entre Alice e o pai e mais tarde entre o Chapeleiro e Alice
do filme "Alice no País das Maravilhas" de Tim Burton
Enviar um comentário