domingo, janeiro 04, 2009

Sou o que sou, Gloria?!

Guardamos histórias das pessoas que passam pelas nossas vidas, como fotografias que espelham o que mais nos marcou, no filme da memória. Com passar do tempo, essas personagens que fomos criando, fundem-se com as lembranças que ficam e tornam-se na verdadeira pessoa, a "nossa" pessoa. E essa versão pode estar incompleta (estará sempre, com toda a certeza), pode até às vezes fugir à verdade, mas é baseada na convivência que tivemos, no que se partilhámos, nas palavras que trocámos, nas ideias que focámos, nos pequenos gestos, nos momentos em conjunto. E na verdade o que fica na memória, depois da areia que corre na ampulheta, acaba por ser, pelo menos para nós, o mais verdadeiro espelho daquela pessoa.

Da história do Tóni só sei flashes, pequenos episódios contados por ele, mas o "meu" Tóni tem muitas histórias para contar. Todos os fins-de-ano me lembro dele e este não foi excepção. Lembro-me porque foi o primeiro Iemanjá que conheci (o primeiro e o único, para dizer a verdade) e todos os anos, na noite da passagem do ano, vestido de branco, ia até à praia para saudar a "rainha das águas" com um banho de mar.

Era cabeleireiro no Brasil, antes de atravessar "tanto mar" e desembarcar em Lisboa. Ainda o continuou a ser por cá durante uns tempos, lembro-me de me ter cortado o cabelo num cabeleireiro num Centro Comercial muito ranhoso, ali para os lados do Jardim Constantino, eu queria ter caracóis mas os cabelos teimavam em permanecer escorridos como esparguete; "Seu cabelo precisa de uma permanente tipo carapinha, durante uns dias fica horrível, mas depois sim, vai ficar linda!" Não cheguei a experimentar, ele deixou o cabeleireiro e eu decidi aceitar o destino e, com ele, os cabelos escorridos.

Era um homem pouco bonito, baixo, com cabelo encaracolado (mesmo sem permanentes), mas tinha uns olhos lindos, muito expressivos, com um quê de mágoa bem lá fundo. Era meigo e carinhoso, tinha aquele à vontade dos povos do "lado de baixo do Equador" que lhes permite expressar-se com o corpo sem qualquer tipo de segundas intenções, porque um abraço ou uma mão que se agarra à nossa são, tantas vezes, nada mais que isso mesmo. Lidava connosco como se fizéssemos parte da família dele, nunca percebi bem se fomos nós que o adoptámos ou se foi ele nos adoptou, mas a verdade é que até o mais conservador da família o acabou por aceitar, bem talvez isso seja dizer demais, fiquemo-nos pelo verbo tolerar.

Apesar de pouco bonito como homem, o Tóni era uma mulher bastante interessante e, uma das coisas que mais me marcou nele (para mim será sempre ele) foi o espectáculo que tantas vezes vi no extinto Bar "Praça das Flores" em que, ao som do "I am what I am", ele entrava em palco vestido de mulher e, aos poucos se desmaquilhava, despia, voltava a vestir e acabava de fato e gravata.

Esta capacidade de ser verdadeiramente fiel a si mesmo e, sem receios, o mostrar ao mundo era a melhor qualidade do "meu" Tóni! Todos os fins-de-ano me lembro dele e penso como seria eu no fim do seu espectáculo onde, ao som do "I am what I am" eu entrasse vestida com a minha "pele" do dia-a-dia...


(*) Tanto Mar - Chico Buarque

(**) Não existe pecado ao sul do equador - Chico Buarque

LL Jan/2009

***************************************************************

"I am what I am
I am my own special creation
So come take a look
Give me the hook
Or the ovation
It's my world
That I want to have a little pride
My world
And it's not a place I have to hide in
Life's not worth a dam
Till I can say I am what I am

I am what I am
I don't want praise I don't want pity
I bang my own drum
Some think it's noise I think it's pretty
And so what if I love each sparkle and each bangle
Why not see things from a different angle
Your life is a shame
Till you can shout out I am what I am


I am what I am
And what I am needs no excuses
I deal my own deck
Sometimes the aces sometimes the deuces
It's one life and there's no return and no deposit
One life so it's time to open up your closet
Life's not worth a dam till you can shout out
I am what I am

I am what I am
And what I am needs no excuses
I deal my own deck sometimes the aces sometimes the deuces
It's one life and there's no return and no deposit
One life so it's time to open up your closet
Life's not worth a dam till you can shout out
I am what I am

I am I am I am good
I am I am I am strong
I am I am I am worthy
I am I am I belong
I am I am I am useful
I am I am I am true
I am I am somebody
I am as good as you

Yes I am"

Enviar um comentário