quinta-feira, novembro 27, 2008

um sentido p'rá vida...

Não procures a "chave que abre a porta do castelo de Chuchurrumel"(1)

ela não te vai abrir o sentido da vida...

Levanta o tapete debaixo do qual guardas os tesouros de cada dia

é no pó que se espalha a cada suspiro que respira o sentido de tudo o que em ti vive.

"Ó lua faz-me uma trança
P'ra de dia desmanchar
Guarda-me a última dança
Quando o fio se acabar

Gosto de ver o teu rosto
Que a mil caminhos se presta
Para uma noite desgosto
Por uma noite de festa

Voltaria à tua terra
Por um mergulho de mar
Entre a cidade e a serra
Fica algures o meu lugar

Este mundo não tem porta
Nem uma chave escondida
Por trás de tudo o que importa
Vem um sentido p'rá vida

Se te fizeres ao caminho
Em horas de arrebol
P'ra fermentar o meu vinho
Traz-me um pedaço de sol

Vamos escrever uma história
Rever um filme a passar
Logo virá à memória
O que eu te queria dar

Será verdade ou mentira
Como um segredo roubado
Sou como a lua que gira
Hei-de dançar ao teu lado

Este mundo não tem porta
Nem uma chave escondida
Por trás de tudo o que importa
Vem um sentido p'rá vida"

"À porta do mundo" - João Afonso Lima

(cantado por Filipa Pais no CD - A porta do Mundo)

(1) O castelo de Chuchurrumel - Lenga-lenga tradicional

Enviar um comentário